quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Falerística e Traje académico

Entre as muitas curiosidades de que a Falerística Portuguesa é rica, vamos destacar um pequeno detalhe ligado ao uso de condecorações nos trajes académicos.

Efectivamente, quando o esforço de mobilização de tropas para o Império se intensificou e começaram a ser publicadas as Portarias que criaram as Passadeiras para as fitas da Medalha Comemorativa das Campanhas e Expedições do Exército Português (de acordo com o Regulamento da Medalha Militar de 1946), quase sempre, um dos artigos do mesmo diploma previa esta situação.

Assim, e a título de exemplo, transcrevemos o artigo de uma destas Portarias:
Artigo 5-º - Os estudantes universitários que tiverem direito à medalha Comemorativa a que se refere a presente Portaria poderão ostentá-la ao peito, do lado esquerdo, quando façam uso de vestuário tradicional de capa e batina.

Estas foram as Portarias que criaram passadeiras específicas para esta medalha, que tinha duas variantes: expedições e campanhas. A medalha em si era a mesma mas conforme a situação, era usada suspensa de fita com padrão diferente.


MEDALHA COMEMORATIVA DAS EXPEDIÇÕES
(Fita de suspensão branca com orlas vermelhas)

ÍNDIA (anos)”
- Portaria nº 16.669, de 19 Abril 1958
- Portaria nº 17.818, de 14 Junho 1960

TIMOR, 1945-1946
- Portaria de 12 Agosto 1958, do MDN

CABO VERDE (anos)”
- Portaria nº 20.563, de 7 Maio 1964

GUINÉ (anos)”
- Portaria nº 20.565, de 7 Maio 1964

S. TOMÉ E PRINCIPE (anos)”
- Portaria nº 20.566, de 7 Maio 1964

ANGOLA (anos)”
- Portaria nº 20.567, de 7 Maio 1964

MOÇAMBIQUE (anos)”
- Portaria nº 20.568, de 7 Maio 1964

MACAU (anos) ”
- Portaria nº 20.569, de 7 Maio 1964

TIMOR (anos)”
- Portaria nº 20.570, de 7 Maio 1964

ULTRAMAR (anos)”
- Portaria nº 21.813, de 20 Janeiro 1966


MEDALHA COMEMORATIVA DAS CAMPANHAS
(Fita de suspensão verde com orlas vermelhas)

NORTE DE ANGOLA (anos)”
- Portaria nº 19.683, de 4 Fevereiro 1963

GUINÉ (anos)”
- Portaria nº 20.564, de 7 Maio 1964

ULTRAMAR (anos)”
- Portaria nº 21.813, de 20 Janeiro 1966

MOÇAMBIQUE (anos)”
- Portaria nº 21.941, de 6 Abril 1966

ANGOLA (anos)”
- Portaria nº 22.838, de 21 Agosto 1967

Ainda hoje, e de acordo com o novo Regulamento da Medalha Militar de 2002, esta medalha comemorativa tem estas duas variantes de concessão, sendo que a que é atribuída aos militares que são destacados nas várias Missões de Paz e Humanitárias, é a Medalha Comemorativa de Comissões de Serviço Especiais das Forças Armadas Portuguesas, e como tal, usa fita de cor branca com orlas vermelhas.


Embora perfeitamente regular pelo que vimos, não deixa de ser curioso o despacho, a baixo transcrito, em que, alguns ex-Oficiais milicianos do Exército expedicionários à Índia, agora estudantes universitários em Coimbra, solicitaram e foram autorizados a usar da referida medalha.

Decreto de 16 Maio 1958 (Diário de Governo n.º 122 / II Série / 1958)
Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro da Defesa Nacional e interino do Exército, condecorar com a Medalha Comemorativa das Expedições ao Estado da Índia os seguintes Oficiais milicianos na situação de disponibilidade e presentemente estudantes da Universidade de Coimbra:
Tenente miliciano de Infantaria Luís Lopes Pereira
Alferes miliciano de Infantaria Rui Fernandes Leal Marques
Alferes miliciano de Infantaria José Carlos de Melo Azevedo Coelho de Campos
Alferes miliciano de Infantaria Rui Weber de Mendonça
Alferes miliciano de Artilharia Joaquim Ubach Ferrão
Alferes miliciano de Artilharia Pedro Expedito Coimbra Ferreira


Aqui uma foto que lembra esses tempos de sacrifício em que a nação mobilizou centenas de milhares dos seus jovens em nome de Portugal. No caso, um desfile de Expedicionários (e sua mascote "Bobby") a desfilarem em Lisboa antes de embarcarem para a Índia Portuguesa (1959).


Muito curioso seria poder observar, e apresentar, algumas fotos em que estudantes universitários, vestidos a rigor, usassem orgulhosamente as suas medalhas comemorativas, sinal público de dever cumprido em longínquas terras mas sempre em nome de Portugal.
Fica esta questão em aberto até que, eventualmente, alguém nos possa ajudar enviando digitais das referidas imagens…

Nenhum comentário: