segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Palácio Konstantinovsky - Museu de Condecorações.


O Museu do Hermitage, em São Petersburgo, alberga uma das mais importantes colecções do mundo, de insígnias de ordens de cavalaria e de mérito e de condecorações, com mais de 2500 peças.
As ordens e condecorações Russas, em número de 600, integram peças que pertenceram à Família Imperial, bem como condecorações e medalhas da antiga União Soviética e da Federação Russa.
A colecção encontra-se hoje, parcialmente alojada e em exibição no Palácio Konstantinovsky -Museu de Condecorações.


A mais antiga ordem Russa - de Santo André - foi fundada em 1698-99 pelo tsar Pedro, o Grande, tendo como insígnias, o distintivo (águia bicéfala coroada, de negro, carregada de uma cruz de santo André, de azul, com a imagem do santo crucificado, com a legenda em latim «SAPR» nas pontas da cruz); o colar; a banda, de azul; e a placa de oito pontas, de prata, carregada, ao centro, de um círculo de ouro com o distintivo da ordem , tudo envolvido por coroa circular de azul, com algenda «Za Veru i Vernost» ("Pela Fé e Lealdade").
Seguiu-se por ordem cronológica de fundação, a Ordem de Santa Catarina, fundada também por Pedro I em 1713-14, para comemorar o seu 2º casamento com a tsarina Catarina I destinando-se apenas a senhoras.
A Ordem Imperial de São Alexandre Nevski idealizada pelo tsar Pedro I, foi fundada pela tsarina Catarina I, em 1725, em memória do Santo lendário que defendeu as fronteiras Russas contra os invasores.
Sob Catarina II, surgiram a Ordem de São Jorge, o Triunfante, em 1769, destinada a premiar o valor militar, com quatro graus; a Ordem de São Vladimiro, em 1797, para serviços civis e militares.
Ainda há que mencionar a prestigiada Ordem de Santa Ana, fundada, em Holstein, pelo Duque Carlos Frederico de Holstein-Gottorp em 1735 para comemorar o seu casamento com a Grã-Duquesa Ana Petrovna da Rússia, filha de Pedro I e de Catarina da Rússia.
O filho de ambos Carlos Pedro Ulrich foi declarado herdeiro da Coroa Imperial Russa em 1742, por sua tia a tsarina Isabel, tendo-se tornado Imperador em 1762, Pedro III, reinando apenas 6 meses. Seu filho o tsar Paulo I em 1797 integrou a Ordem de Santa Ana no sistema das ordens imperiais russas.
Para além das insígnias das ordens imperiais o Museu expõe uma vasta colecção de objectos relacionados com as mesmas: serviços de mesa, desenhos de insígnias para vestuário e uniformes e medalhas comemorativas da fundação das ordens.
Além das ordens de cavalaria, o Museu expõe ainda condecorações civis e militares criadas na Rússia desde o reinado de Pedro I, o Grande até ao do infortunado Nicolau II, assassinado pelos bolsheviques em 1917. As pouco conhecidas e raras condecorações dadas durante a guerra civil pelos Exércitos dos Russos Brancos são também contempladas pelo Museu.
Em salas próprias expõe-se a vasta panóplia das condecorações e medalhas conferidas pelo Estado Soviético, bem como as dadas pela Federação Russa, incluindo as ordens restauradas de santo André e de São Jorge.
A exposição permanente inclui, iconografia, texteis e documentação relativa às ordens e condecorações.
Entre as ordens não Russas, o Hermitage possui a melhor colecção existente na Rússia, em número superior a 1000 peças, incluindo insígnias da Ordem do Tosão de Ouro (Espanha e Áustria), da Legião de Honra, desde 1804 à actualidade, da Ordem do Crescente, do Império Otomano e um raríssimo e valioso colar da ordem do Espírito Santo.

Nenhum comentário: